Home / Blog / Educação Infantil / O que são transtornos globais do desenvolvimento e como são identificados
  • 13/12/2023

O que são transtornos globais do desenvolvimento e como são identificados


  • Autor: Equipe Educamundo
  • Compartilhe:
    facebook twitter linkedin

Trabalhar com desenvolvimento humano é uma jornada cheia de descobertas, mas também de desafios. Se você é um profissional da saúde ou da educação, certamente já se deparou com o termo transtornos globais do desenvolvimento (TGD). Esses transtornos, que englobam condições como o autismo, podem ser complexos e, às vezes, difíceis de identificar. Mas entender o que são e como reconhecê-los é o primeiro passo para oferecer o suporte adequado e fazer a diferença na vida de muitas pessoas.

crianca-brincando-com-cubos

O que são os transtornos globais do desenvolvimento?

Os transtornos globais do desenvolvimento são uma categoria de condições neurológicas que englobam uma ampla gama de desafios nas áreas de comunicação, comportamento e interação social. Desde a infância, esses transtornos podem apresentar um espectro de manifestações que variam de leves a graves. Uma pergunta que surge frequentemente é: o que são os transtornos globais do desenvolvimento? Esses são casos onde percebemos dificuldades consistentes em uma criança para se comunicar, fazer amigos ou entender regras sociais. Nestas situações, é possível que estejamos diante de um caso de TGD.

Reconhecer os sinais é o primeiro passo para ajudar. A pergunta: o que são os transtornos globais do desenvolvimento? não é somente para fins acadêmicos, mas representa uma questão crucial para a prática profissional desses especialistas. É por meio do entendimento profundo sobre o que são os transtornos globais do desenvolvimento que esses profissionais podem iniciar o diagnóstico precoce e uma abordagem multidisciplinar eficaz.

Quais são os transtornos globais do desenvolvimento e como são identificados?

Agora, se você já se perguntou: quais são os transtornos globais do desenvolvimento?, está no lugar certo. Basicamente, essa categoria inclui o Transtorno do Espectro Autista, Síndrome de Rett, Transtorno Desintegrativo da Infância, entre outros. Essas condições se caracterizam, principalmente, por afetar a comunicação, a interação social e o comportamento de forma significativa, e os sinais geralmente começam a aparecer nos primeiros anos de vida.

Agora, quando falamos em como esses transtornos são identificados, entram em cena nossos queridos profissionais da saúde e da educação, que são os primeiros a notar quando algo está diferente no desenvolvimento de uma criança. Por isso, a questão é: quais são os transtornos globais do desenvolvimento? Vai além da teoria: envolve observar, ouvir e entender cada criança de forma única. Avaliações clínicas, observação comportamental e escalas de avaliação são algumas das ferramentas usadas para fazer esse diagnóstico tão importante. 

Transtorno Autista

Quando falamos de Transtorno Autista, estamos nos referindo a um dos transtornos mais conhecidos dentro do espectro dos Transtornos Globais do Desenvolvimento. Essa condição, que afeta a maneira como uma pessoa percebe o mundo e interage com os outros, é tão diversa quanto a própria humanidade. Imagine que o cérebro de uma pessoa com Transtorno Autista processe informações de maneira única, o que pode resultar em desafios nas áreas de comunicação, socialização e comportamento.

Detectar o Transtorno Autista envolve observar atentamente o comportamento e o desenvolvimento da criança. Vocês podem notar, por exemplo, que a criança evita contato visual, tem dificuldade em entender sentimentos alheios ou apresenta padrões de comportamento repetitivos. Cada detalhe conta, e cada criança com Transtorno Autista é singular. Entender essa singularidade é o primeiro passo para oferecer o suporte adequado e fazer toda a diferença na vida desses pequenos! 

Transtorno de Rett

Vamos falar sobre o Transtorno de Rett, um cenário raro, mas profundamente impactante no universo dos Transtornos Globais do Desenvolvimento. O Transtorno de Rett, que afeta predominantemente meninas, apresenta-se como um enigma que desafia famílias e profissionais. Imagine uma criança se desenvolvendo de forma aparentemente normal e, de repente, por volta dos 6 a 18 meses, começar a perder habilidades previamente adquiridas, como fala e movimentos voluntários. É um baque, não é?

Notar o Transtorno de Rett envolve observar regressões no desenvolvimento, movimentos repetitivos das mãos e desafios na coordenação motora. Um olhar atento pode acelerar o diagnóstico e, consequentemente, o início de intervenções que podem melhorar significativamente a qualidade de vida dessas crianças. 

Transtorno Desintegrativo da Infância

Pouco se fala sobre o Transtorno Desintegrativo da Infância, não é? Mas esse é um tema que merece nossa atenção. Esse transtorno é como um terremoto na vida de uma família: a criança se desenvolve normalmente por pelo menos dois anos e, depois, entra em um processo de perda significativa das habilidades que havia conquistado, como linguagem, habilidades sociais e motoras. É um cenário que deixa muitos pais e profissionais de queixo caído, sem entender o que aconteceu.

No Transtorno Desintegrativo da Infância, a observação pode ser o farol nessa tempestade para as famílias. Perceber alterações no comportamento, como isolamento social e perda de interesse pelo ambiente, é essencial. Com a ajuda no diagnóstico precoce e no desenho de um plano de intervenção pode fazer toda a diferença.

Transtorno de Asperger

Entrando agora na cena, temos o Transtorno de Asperger da Infância, uma condição que faz parte do espectro autista, mas com suas particularidades. Esse transtorno é frequentemente caracterizado por desafios na interação social e comportamentos repetitivos, mas, geralmente, sem comprometimento significativo na linguagem e no desenvolvimento cognitivo. Imagina um pequeno Einstein, com uma capacidade incrível para números, mas que acha complicado decifrar o 'idioma' das emoções humanas. É um pouco assim que o mundo se apresenta para essas crianças.

No Transtorno de Asperger da Infância, seu conhecimento e sensibilidade podem ser os melhores aliados desses pequenos. Observar uma criança que talvez prefira conversar com adultos a brincar com colegas da mesma idade, ou que se mostra fascinada por um único tema, pode ser um sinal. O Transtorno de Asperger da Infância tem nuances sutis, e seu olhar treinado pode ser a chave para desvendar esse mistério e encaminhar para o suporte necessário.

Transtorno Global do Desenvolvimento Sem Outra Especificação - SOE

O Transtorno Global do Desenvolvimento Sem Outra Especificação (SOE).

Um nome comprido, eu sei, mas vamos descomplicar. Esse é o diagnóstico que os profissionais dão quando uma criança apresenta alguns, mas não todos, os critérios para outros transtornos específicos do desenvolvimento. Pense nisso como um guarda-chuva que abriga diversas situações em que a criança tem dificuldades claras, mas que não se encaixam 100% em categorias como Autismo ou Asperger.

É desafiador e exige um olhar aguçado! No Transtorno Global do Desenvolvimento Sem Outra Especificação, cada criança é um universo único. Você pode se deparar com um pequeno que tem dificuldades de comunicação, mas cujas habilidades sociais estão relativamente preservadas, ou vice-versa. Então, é hora de ligar o radar, porque detectar e entender o Transtorno Global do Desenvolvimento Sem Outra Especificação pode ser o primeiro passo para traçar um plano de ação eficaz e personalizado. 

Qual TGD é também conhecido como Psicose Infantil?

Então, aqui vai uma pergunta que pode aparecer por aí: qual Transtorno Global do Desenvolvimento (TGD) que já foi chamado de Psicose Infantil? A resposta é o Autismo! Isso mesmo, nas décadas passadas, quando pouco se sabia sobre esse transtorno, ele era frequentemente associado a uma forma de psicose que se manifestava na infância. E não, isso não é uma viagem no tempo; é um pedaço da história da psiquiatria.

O Autismo foi desvinculado do conceito de psicose e é reconhecido como um espectro, com uma ampla variedade de manifestações e intensidades. E vocês, caros profissionais, são parte fundamental dessa evolução, ajudando a desfazer estigmas e promovendo uma abordagem mais humana e eficaz no cuidado dessas crianças. Então, a próxima vez que ouvirem “Psicose Infantil”, já sabem: é um termo que ficou no passado, e nosso olhar agora é pra frente, com ciência e empatia. 

crianca-brincando-com-cubos

Conclusão

Percorremos juntos o universo dos Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD), desbravando desde os bem conhecidos, como o Autismo e o Asperger, até os menos falados, como o Transtorno Desintegrativo da Infância. Aprendemos que esses diagnósticos não são sentenças, mas sim pontos de partida para compreender melhor cada criança e suas necessidades específicas. Para vocês profissionais, é um convite a olhar com carinho, ciência e muita empatia para esses pequenos que têm tanto a nos ensinar.

Mas a nossa viagem não precisa parar por aqui! Se você ficou curioso para se aprofundar mais no universo do espectro autista, temos um próximo destino para você. Embarque conosco no artigo Níveis de autismo: conheça quais são, suas características, sinais e sintomas. Ali, vamos detalhar cada nível de autismo, esclarecer dúvidas e, claro, equipar você com informações valiosas para fazer a diferença na vida de muitas crianças e suas famílias. Vamos juntos nessa próxima etapa? 

 

Pesquisar