Sempre que o assunto é educação especial, nosso primeiro impulso é abordar as deficiências – física e intelectual –, os transtornos globais do desenvolvimento e o transtorno do espectro autista. 

Acabamos deixando de lado outro tipo de condição: as altas habilidades. Chamada também de superdotação, essa é uma condição às vezes difícil de ser diagnosticada. 

Primeiro, porque é muitas vezes confundida com hiperatividade ou outro distúrbio de aprendizagem. Segundo, porque, no geral, ainda se tem a ideia de que a criança deve ser um gênio – o que é um mito que já vem sendo derrubado. 

Para saber mais, abordamos a seguir alguns tópicos principais sobre altas habilidades/superdotação (AH/SD). Continue sua leitura e conheça um pouco mais sobre esse universo.  

Educação especial e altas habilidades 

Crianças superdotadas também precisam de atendimento especializado, principalmente porque caso não o tenham, perdem o interesse pelas aulas e pelo estudo.  

Por terem capacidade de compreensão acima da média, se sentem desmotivadas em aulas que não lhes apresentam desafios.  

Por isso, sempre que identificada a condição, o aluno (ou alunos) deve receber esse atendimento. Muitos professores, inclusive, estimulam esses alunos fazendo a integração da turma e lhes dando responsabilidades como e de ajudar colegas em seu aprendizado.  

No entanto, identificar alunos com AH/SD ainda é um desafio.  

O desafio da educação inclusiva 

De acordo com o MEC, “A proposta de atendimento educacional especializado para os alunos com altas habilidades/superdotação tem fundamento nos princípios filosóficos que embasam a educação inclusiva e como objetivo formar professores e profissionais da educação para a identificação dos alunos com altas habilidades/superdotação, oportunizando a construção do processo de aprendizagem e ampliando o atendimento, com vistas ao pleno desenvolvimento das potencialidades desses alunos.” 

Apesar disso, a inclusão ainda desafia educadores. Em parte, porque, conforme já dissemos, ainda se tem a percepção de que superdotação está ligada somente à genialidade ou a crianças prodígio.  

No entanto, o cenário é bem diferente. Fica mais fácil de entender isso conhecendo as seis grandes divisões das altas habilidades e suas principais características: 

1. Capacidade intelectual geral 

Neste grupo se encaixam crianças e jovens com memória elevada, poder de observação excepcional, rapidez de pensamento e muita curiosidade intelectual.  

2. Aptidão acadêmica específica 

Este grupo engloba quem tem desempenho excepcional em uma ou mais disciplinas específicas, assim como grande motivação em estudá-las e alta pontuação em testes. 

3. Capacidade de liderança 

Influencia no grupo, facilidade para o relacionamento interpessoal, poder de persuasão, atitude de cooperação e capacidade de resolver situações complexas definem este tipo de alta habilidade.  

4. Pensamento criativo 

Imaginação, alta capacidade para resolver problemas, facilidade em perceber tópicos de forma inovadora e diferente e originalidade de pensamento são algumas das características que definem as crianças e jovens com superdotação que se encaixam neste grupo.  

5. Capacidade psicomotora 

Grande destaque em esportes e atividades físicas definem quem se encaixa neste grupo. Essas crianças e jovens apresentam desempenho superior nessas atividades, assim como força, resistência, velocidade, coordenação motora fina e grossa e agilidade de movimentos.  

6. Talento especial para artes 

Sensibilidade a ritmos musicais e alto desempenho na música ou em artes cênicas, literárias e plásticas são alguns pontos que identificam altas habilidades em artes. Quem se encaixa neste perfil tem muita facilidade para expressas ideias visualmente.  

A seguir veja a diferença entre terminologias que definem pessoas consideras prodígio, gênios e superdotadas.  

Os gênios da humanidade 

Você certamente já ouviu a expressão “gênios da humanidade”. Há, inclusive, lista de nomes de pessoas que ganharam esse título.  

“Gênio” é uma palavra frequentemente atribuída a quem é muito inteligente ou se destaca fortemente em algum campo.  

Quem cunhou esse termo foi o psicólogo americano Lewis Terman, em seu livro Genetic Studies of Genius, em tradução livre “Estudo Genéticos dos Gênios”. Publicado em 1926, o livro trazia a informação de que gênio era qualquer criança com QI superior a 140 (de acordo com o teste Stanford-Binet). 

No entanto, estudiosos e pesquisadores contemporâneos deram uma nova definição e atribuem a definição de “gênio” a quem contribui com grandes feitos para a humanidade, daí a expressão “gênios da humanidade”.  

Alguns desses são: Nikolas Tesla, Leonardo da Vinci, Stephen Hawkins, Tim Berners-Lee e outros. 

Criança precoce 

A definição de precoce é utilizada a toda criança que desenvolve prematuramente alguma habilidade específica. Quem tem superdotação é precoce, já que as altas habilidades se desenvolvem nos primeiros anos de vida. No entanto, nem todo precoce se tornará uma criança superdotada. Vários fatores em seu desenvolvimento influenciarão nisso.  

Criança prodígio 

“Prodígio” define a criança que apresente precocemente um alto desempenho em alguma habilidade se comparado ao nível profissional de um adulto.  

Os certificados do Educamundo podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

A síndrome de savant é uma alta habilidade? 

síndrome de savant é um distúrbio psíquico raro. A criança ou jovem com a síndrome apresenta extraordinárias habilidades intelectuais, também chamadas de “ilhas de genialidades”.  Entretanto, não é considerada uma alta habilidade. 

É algo como fazer qualquer tipo de conta, mesmo as mais complexas, sem precisar de calculadora. No entanto, essas pessoas costumam ter pouca compreensão do que fazem. A pessoa que calcula, por exemplo, pode não saber nada de matemática.  

Uma das características do savantismo é que o excesso de habilidade em algo vem acompanhado de limitações, inclusive intelectuais. A síndrome de savant também está ligada ao autismo, já que uma em cada dez pessoas dentro do TEA (transtorno do espectro autista) tem habilidades excepcionais em diferentes graus.  

Onde estudar e saber mais sobre altas habilidades 

O Educamundo tem vários cursos online que ajudam você a desenvolver e ampliar seus conhecimentos sobre temas diversos em Educação. Podemos citar alguns: 

Faça sua matrícula e venha fazer parte do time de alunos no portal que é referência nacional em cursos online com certificado.  

Por apenas R$ 69,90, você tem acesso um ano todo ao Pacote Master, com mais de 1.200 cursos, em diversas áreas do conhecimento.  

Não espere mais para dar aquela turbinada em sua carreira, inscreva-se agora mesmo!

O mercado não espera por você. Cadastre agora e qualifique-se: