O ensino híbrido é uma combinação do ensino presencial e o ensino online. Ele integra educação à tecnologia, transformando a maneira de ensinar do professor e a forma de aprender dos alunos.

Ensino híbrido: já ouviu falar dessa tendência? Pois é, daqui pra frente será uma necessidade comum a todas as escolas e instituições tanto do Brasil quanto do mundo. Esse método, seja na sala de aula ou a distância - com os cursos online -, educa com excelência e garante a total convergência dos recursos tradicionais da educação com a tão querida tecnologia.

Há muito o que compreender, desbravar e colocar em prática quando se trata da tecnologia na educação. São estratégias interessantes e que servem para muitos professores, gestores e demais interessados. Por isso, além de cursos online dessa área, você pode aprender mais com este artigo que preparamos justamente para te orientar. Entenda o que é ensino híbrido, como implementar e usar a seu favor na sala de aula. Vamos começar?

Ensino híbrido e a tecnologia na educação

A necessidade do ensino híbrido

''Não há mais espaço, nem tempo para longas e enfadonhas aulas expositivas unidirecionais professor-aluno. O uso benéfico de tecnologias mediadoras da aprendizagem substitui, com vantagem, o trabalho rotineiro, tradicional e pouco criativo do professor transmissor de conhecimento. A vida digital conectada em rede, os dispositivos portáteis e móveis, conectados e inteligentes e a aprendizagem flexível (Educação a Distância) redefiniram o papel do professor na sala de aula com atividades híbridas (presenciais e a distância)''.

É importante começarmos a falar desse assunto com esse trecho que trata justamente sobre as novas tecnologias na educação. O responsável é o professor e especialista da Universidade de Brasília, Marcos Formiga, em um periódico para a ABED – Associação Brasileira de Ensino a Distância, um portal de educação destaque nessa modalidade no país quando se trata de cursos a distância.

Marcos explana justamente o problema que se tornou a metodologia engessada das salas de aula. Se antes ainda tinham um ar de novidade, o tradicionalismo, embora operante, se vê cada vez mais como um desafio para muitos professores. E isso vale para todos os níveis de ensino, do infantil à graduação. O desinteresse pelo método convencional é latente, ainda mais entre os jovens que já estão inseridos no modelo em que tudo precisa ser ágil e rápido, ''na hora''.

A valorização do tempo, a ansiedade e demais peculiaridades próprias do mundo moderno faz com que muitas pessoas se voltem para o que é novidade, que seja intuitivo e interativo, como tudo que costuma ser próprio da tecnologia mesmo. O advento da internet e das redes sociais, paralelo à facilidade de realizar tarefas, está acostumando muitos indivíduos ao imediatismo e obrigando muitos setores a se voltar a essas práticas.

A educação, claro, é um dos principais. Para quem educa, é primordial pensar em ir além para manter o aluno engajado na matéria e demais atividades comuns na sala de aula. Felizmente, já existem muitos casos assim: na educação inclusiva, infantil, no ensino médio, fundamental, técnico e na faculdade... Nesses casos, o principal aparato que se vê é o popular computador e sua variedade de softwares e acessórios.

No ensino a distância, por exemplo, muita gente já tem contato com métodos de autoaprendizagem, em meio a ambientes virtuais modernos e eficientes. Muitos cursos online usam esse recurso e atualmente, já capacitam milhões de pessoas no Brasil. Para se ter ideia, os cursos EAD classificados como livres são indicados para capacitação, aperfeiçoamento, atualização, entre os mais variados objetivos, considerados versáteis e ecléticos, com qualidade e muito valor.

Quando se trata da graduação, podemos perceber os recursos híbridos ainda mais latentes, pois além de tudo que aprende nos cursos a distância, o aluno ainda precisa frequentar uma sala de aula periodicamente, sobretudo para passar por avaliações. Mas a tecnologia na educação vai muito além disso, com fatores que podem deixar muitos educadores animados e motivados.

Os certificados do Educamundo podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Afinal, o que é ensino híbrido?

Híbrido vem de cruzamento, combinação, convergência. É uma associação de duas coisas que podem ser diferentes e se complementam. Quando falamos do ensino unindo educação e tecnologia, entra justamente nesse parâmetro. A ideia principal, nesse caso, é levar o meio online para a sala de aula.

O ensino híbrido junta esses dois modelos para explorar ao máximo as capacidades e o potencial dos alunos, além de manter o interesse do mesmo, seja na própria escola, no laboratório, em casa ou qualquer ambiente similar. Atualmente, com a popularidade da informática e dos meios digitais na educação, fica ainda mais fácil contar com essa alternativa.

Se você já fez uma graduação, por exemplo, com certeza sua faculdade contava com um laboratório a parte, tanto para ser usado para uma disciplina específica quanto para auxiliar em determinada matéria. O local físico, as práticas e sua utilização já se definem como ensino híbrido e mostram como a informática, softwares e a internet são ferramentas essenciais, considerados um aparato que educa e complementa o aprendizado.

Para crianças, esses projetos são melhores ainda. Na educação infantil, incentiva os pequenos a conhecerem novas técnicas e ficarem mais próximos da tecnologia para fazer o uso responsável. Por meio de jogos, por exemplo, é possível instiga-los e alcançar ótimos resultados. Na educação inclusiva também dá para ter muitos ganhos, ainda mais quando se trata da comunicação alternativa. Nesse caso, computadores e dispositivos adaptados podem ser de grande valia para os educadores.

Essa regra vale para todos os contextos. Os adolescentes podem tirar o máximo proveito das novas tecnologias da educação, assim como os universitários. Quem nunca usou um programa para fazer um trabalho e precisou até se capacitar na sua utilização, dominando para facilitar uma tarefa e colocando seus recursos em prática no cotidiano?

Nesse ponto, não podemos deixar de destacar o poder de muitos cursos online, alternativa que educa e deixa qualquer aluno preparado para lidar com a tecnologia e usá-la em muitos contextos. Assim como o educador, o aluno também deve aproveitar esse conceito para aprender bastante e entender um assunto que tem dificuldade. O Educamundo conta com vários cursos EAD para muitas metas, que por si só – metodologia de ensino, no caso – já contribuem para essa tendência.

 

O ensino híbrido no Brasil

Entenda os modelos e aplicação do ensino híbrido no Brasil:

  • Como aplicar o ensino híbrido? Para aplicar o ensino híbrido a escola deve fazer mudanças na infraestrutura de ensino, capacitar os professores de forma continuada, modificar o currículo, práticas de sala de aula, modos de avaliação e outros aspectos, tudo para garantir que o ensinamento seja eficiente.
  • Modelos de ensino híbrido: Alguns exemplos de modelos de ensino híbrido são * Rotação por Estação * Laboratório Rotacional * Rotação Individual * Virtual enriquecido Em todos esses modelos o aluno é protagonista de seu aprendizado.

A primeira vez em que se começou a pensar no ensino híbrido e colocar em prática as ferramentas que visavam a combinação de educação e tecnologia foi nos Estados Unidos, proposta do Instituto Clayton Christensen. Assim, ele foi inserido, otimizado e é utilizado até hoje, inspirando muitas nações, inclusive o Brasil. São vários recursos didáticos que são organizados de acordo com a série, as características de cada turma, a faixa etária, o desempenho na sala de aula, entre muitos outros fatores. Tudo depende de uma análise prévia do gestor escolar e do conteúdo programático de cada disciplina em si. 

No Brasil, os primeiros estudos e estratégias acerca do uso da tecnologia na educação vêm desde os anos 70, com experimentos de várias universidades. Porém, quando se trata de termos atuais, foi a partir do início dos anos 2000 que o Ministério da Educação oficializou o uso da informática e de novas tecnologias na educação básica. Hoje em dia, há um guia completo de termos e programas que auxiliam muitos profissionais a flexibilizarem o ensino.

Além disso, secretarias de determinadas cidades investem em um portal de educação que reúne todas as informações e métodos necessários para se atualizar, oferecendo guias e ferramentas interessantes. Vale lembrar também que, por meio de cursos online com certificado, qualquer professor pode ficar por dentro do assunto em termos teóricos e fazer o gerenciamento completo dessas medidas na prática, diariamente.

Segundo o MEC, em sua cartilha atualizada denominada Guia de Tecnologias, 10 áreas são essenciais na abordagem desse conceito no ensino básico (infantil, fundamental e médio). Cada uma delas educa de modos direcionados e cada qual é composta por atividades versáteis preparadas pedagogicamente. A lista é composta por:

  1. Acompanhamento Pedagógico: ABC Digital, Portal Pedagógico;
  2. Comunicação e uso de Guias: Vídeo Ambiental, Trechos de Filmes, Repórter Aprendiz;
  3. Cultura Digital: Rádio História, Tecnologia Educacional Mobile;
  4. Cultura e Artes: Caravana de Leitura, Oficina do Pensar e do Agir;
  5. Educação Econômica: Enter Jovem Plus – Empregabilidade, Tecnologia e Inglês;
  6. Direitos Humanos em Educação: Criação de Diálogos na Escola, Educação Emocional e Social;
  7. Educação Ambiental: Vídeo Ambiental, O Bioma onde eu Moro;
  8. Esporte e Lazer: Oficina do Pensar e Agir;
  9. Investigação no Campo das Ciências da Natureza: O Bioma onde eu Moro;
  10. Promoção da Saúde: Educação Emocional através do Programa Amigos do Zippy.

Nesse manual do órgão, você pode acompanhar informações detalhadas de cada atividade e como se adequam a cada área descrita. Já para fortalecer o conhecimento, muitos cursos online com certificado também podem te auxiliar, como as propostas do Educamundo no nicho da educação. Além de compreender e ficar por dentro, você ainda pode ter um comprovante, essencial para provar todo seu empenho e dedicação em assimilar o conteúdo e aprender com os melhores cursos EAD do mercado.

cursos online educa

Modelos de ensino híbrido

O ensino híbrido conta com alguns modelos usuais que são divididos em duas categorias: modelos sustentados e modelos disruptivos. O primeiro ainda conserva boas características do ensino tradicional, não rompe totalmente com os materiais e termos convencionais. Já o outro trata-se de uma proposta nova, para dar uma outra visão ao formato de escola que há tempos é utilizado, visto até com perspectivas mais radicais.

Em todo caso, o primeiro modelo é o mais comum, pois busca aos poucos incluir os recursos tecnológicos para personalização e complemento das aulas, ou seja, trata-se exatamente de unir educação e tecnologia de modo eficiente e complementar. Nesse caso, é formado por alguns campos:

Rotação por Estações

Ocorre quando o espaço (sala de aula) é dividido em estações de trabalho com objetivos específicos, sendo uma delas no modelo online e com novas tecnologias na educação. Dentro de cada estação, há tarefas para serem feitas pelos alunos, sendo uma depende da outra e todas se completam. A proposta é que todos alcancem os objetivos propostos pelo educador, independente de tempo e de quantidade de polos.

Rotação Individual

Na rotação individual, por sua vez, os alunos contam com desafios em diversos níveis, personalizados de acordo com uma dificuldade ou necessidade. Ao contrário da rotação por estações, não é obrigatório que o indivíduo passe por todas as opções, mas sim por aquelas que são recomendadas para seu aprendizado.

Sala de Aula Invertida

Esse ponto se forma a partir de três recomendações básicas. A primeira delas é que os alunos busquem referências e materiais a respeito de determinado tema ou assunto sugerido e gerenciado pelo professor fora da escola. Pode ser em casa e com as pessoas mais próximas. Depois, a partir desses conceitos, eles criam junto ao educador um modelo de aula, baseados na pluralidade de informações e dados que encontraram e compreenderam.

Assim, por fim, ocorre um aprofundamento da matéria e do conhecimento. Após a formação de um plano e de uma metodologia específica, os alunos têm autonomia para buscar mais resultados e materiais, usando, sobretudo, os meios interativos e digitais (internet) do meio externo para que, posteriormente, possam fortalecer o debate. A ideia, nesse caso, é que toda a sala participe, independente dos resultados de cada um.

Laboratório Rotacional

Já o laboratório rotacional é um dos modelos mais conhecidos dentro do ensino híbrido que é colocado em prática atualmente em todos os ramos educacionais. Nesse caso, o objetivo é dividir os alunos nos dois espaços de trabalho existentes: o convencional (sala de aula), com seus recursos básicos, e o laboratório tecnológico e online, com todos os aparatos necessários e visando as novas tecnologias na educação.

De acordo com o plano de aula, o professor pode estipular um tempo de permanência em um ambiente e abordar a matéria de modos diversificados, com visões de acordo com cada espaço. O ideal é que os alunos alternem entre cada local e que um combine com o outro: se houve a abordagem de uma atividade de matemática na sala, é recomendado usar um programa ou jogo que tenha relação com a mesma, por exemplo.

Perceba que ensinar por meio desses parâmetros pode ser essencial para um aprendizado orgânico tanto dos alunos quanto do próprio educador. Para que todos esses recursos sejam colocados em prática, é primordial aos responsáveis usarem como base tanto os materiais do MEC quanto passos e informações presentes no portal de educação de sua escola ou em cursos online, opção que educa e qualifica de modo flexível, versátil e confortável.

Cursos relacionados que podem te interessar:

Como colocar o ensino híbrido em prática?

Pelo que podemos notar, não há muitas dificuldades em pensar no ensino híbrido desde que a escola tenha uma estrutura essencial para isso. Se formos analisar, hoje em dia praticamente todos têm acesso fácil aos meios digitais, seja com o computador, smartphones ou demais dispositivos, logo, para alguns casos é mais simples e dinâmico.

Todavia, é importante salientar o termo inclusivo dessa proposta, ou seja, para as pessoas que não tem noção do uso da tecnologia na educação e não tem contato com esses aparatos, seja devido à condição social, pouco conhecimento ou limitações. Por isso, o professor deve estar sempre pronto para atender a totalidade e garantir a democratização dessas estratégias.

Um dos maiores exemplos que podemos citar nesse contexto é a informática educativa, amplamente utilizada em muitas escolas e locais que têm como meta o aprendizado simples por meio do computador e suas ferramentas. Nesse caso, vai desde o simples domínio da máquina até métodos avançados, com as mais diversas aplicações.

Essa é uma forte tendência e que tem relação total com o ensino híbrido, pois educa de modo competente e coroa a combinação da educação e tecnologia. Não é à toa que a informática educativa é utilizada em todos os níveis e setores: na Educação de Jovens e Adultos (EJA), na educação infantil e fundamental, no ensino médio, técnico e superior, além da abordagem para grupos específicos, como idosos e pessoas com deficiência.  

Para conhecer, desbravar e dominar com excelência tudo que se refere a esse campo, o Curso Online Informática Educativa é o guia essencial para educadores, gestores, estudantes e todos que visam se aperfeiçoar nesse ramo, entendendo na teoria e na prática do que se trata e como aproveitar as novas tecnologias na educação. Esse é um dos melhores cursos a distância do Educamundo: exclusivo, com abordagem essencial para entender o conceito e pensar em como pode ser aplicado no cotidiano destacado nas práticas de inclusão social.

ensino híbrido

Ensino híbrido: mais que uma tendência a se aproveitar

Como dissemos no início do artigo, o ensino híbrido se aprimora cada vez mais, garantindo um espaço concreto e que se fortalecerá, ou seja, não é algo passageiro e tampouco ficará enfraquecido. Só resta aos interessados estarem cada vez mais ligados nessa tendência para que possa ficar em evidência e na prática sempre.

Relembrando conceitos importantes!

  • O que é uma aula híbrida? É uma aula dividida em dois momentos: online e off- line. No momento online o aluno faz uso da tecnologia (celular, notebook, tablet) para buscar conhecimento. Pode estudar sozinho, em grupos ou sob orientação. Na parte off-line o aluno estuda em grupos com a supervisão do professor, discutindo o tema aprendido online.
  • O que é metodologia híbrida? É uma metodologia que concilia educação à distância ou online com o ensino presencial. Aulas e materiais virtuais se intercalam com atividades presenciais em grupo com supervisão do professor.
  • O que é modalidade híbrida? É modalidade de ensino a distância associada a encontros presenciais. O foco principal é a aprendizagem ativa, ou seja, é o aluno que desenvolve seus conhecimentos e é protagonista da sua formação educacional.

Visto tantas informações, é fundamental entender o quanto a união de educação e tecnologia é necessária e latente. Unir esses dois conceitos leva a muitos ganhos para todos os lados. Portanto, busque sempre novas alternativas para compreender essa combinação, tanto com os cursos online quanto com informações já existentes e colocadas em prática nas escolas de sua região. Pesquise nos mecanismos de busca por ''portal educação'' e veja se há um canal integrado com recursos direcionados aos professores e que tratam de projetos já existentes. 

Falar de ensino híbrido sem falar de educação online não dá, não é mesmo? Por isso vou deixar uma dica aqui aos profissionais que pretendem se capacitar através de cursos online: antes de mais nada, pesquisem! A melhor forma de pesquisar é através dos mecanismos de busca da internet. Confira quais são os termos em que você pode encontrar os melhores resultados: cursos onlinecursos online com certificado; cursos online educa. Em todos eles você encontra o Educamundo, mas também encontra algumas opções um tanto quanto duvidosas, por exemplo, é bom ficar atento ao mito dos cursos online grátis, que no fim da contas, muitas vezes servem apenas para gerar muita dor de cabeça em longo prazo, por isso é bom contar com instituições que prezam por um trabaho sério e transparente, divulgando corretamente todas as informações. 

O importante é estar sempre bem informado e ligado nas tendências para evitar que as aulas fiquem desinteressantes. Quando se trata da orientação e estudos com cursos online, o Educamundo pode te ajudar bastante, já que conta com os melhores cursos online com certificado para educadores e profissionais de diversas áreas. São mais de 1200 cursos a distância que você pode ter acesso durante um ano, investindo um valor único de R$69,90.

Se você se interessou pelo nosso profissionalismo e conteúdo, inscreva-se e comece a fazer os melhores cursos EAD do mercado, para se capacitar, atualizar e aperfeiçoar de modo versátil, ágil, confortável e flexível, com um ambiente virtual de aprendizagem que tem tudo a ver com o tema que tratamos aqui.

Caso tenha dúvidas, deixe um comentário, ficaremos felizes em responder. Compartilhe com os amigos também. Até a próxima.