Quando falamos sobre educação inclusiva e necessidades educacionais especiais, normalmente relacionamos à situação de crianças com deficiência ou distúrbios de aprendizagem.  No entanto, há outro público que se encaixa nesse aspecto: as crianças com altas habilidades/superdotação.

A inclusão escolar prevê todas o atendimento irrestrito, seja qual for o tipo de distúrbio. Mas as altas habilidades muitas vezes podem demorar a serem identificadas, pois a princípio a criança pode somente parecer muito inteligente. Com o passar de algum tempo e de observação dos professores é que se poderá perceber que há algo mais naquela personalidade.

Indivíduos com alto quociente de inteligência são considerados gênios, talentosos, superdotados. Mas, há também um clichê, de que todo gênio é louco. Será que é verdade?

Brincadeiras à parte, queremos ajudar você, educador ou pai, em relação aos aspectos relacionados à altas habilidades: diagnóstico, necessidades educacionais e tudo mais relacionado.

Continue lendo nosso artigo e amplie seus conhecimentos em relação ao tema.

Altas habilidades/superdotação: como reconhecer as características

Prodígios, gênios, superdotados: várias formas definiram, ao longo do tempo, as pessoas com altas habilidades.

É de conhecimento comum que quem tem altas habilidades é super inteligente — ideia sempre associada a quem é capaz de realizar cálculos extensos de cabeça ou quem é capaz de inventar algo revolucionário. É claro que essas pessoas existem, inclusive conhecemos algumas delas, que deram importantes contribuições ao mundo e à História, alguns são, inclusive, conhecidos como gênios da humanidade.

No entanto, ao longo do tempo tem se estudado muito sobre superdotação. Alguns estudos mostram que indivíduos com superdotação não formam um grupo homogêneo, por exemplo.

Eles podem ter diferentes habilidades cognitivas, bem como diferentes níveis de desempenho. Alguns podem, por exemplo, apresentar alta competência em várias áreas, quanto outros podem demonstrar alta competência em uma única área.

Mas atenção: há um grupo de indivíduos que podem parecer, em um primeiro momento, pessoas com altas habilidades, no entanto, são savants. Vamos explicar o que é.

O que é a síndrome de Savant?

A síndrome de Savant é um distúrbio psíquico relacionado a um desequilíbrio no intelecto de um indivíduo. A principal característica é uma habilidade excepcional em determinada área e ao mesmo tempo em que apresenta déficits intelectuais.

A palavra savant significa “sábio” e desencadeia habilidades extraordinárias em algumas pessoas — esse fenômeno é também conhecido como “ilhas de genialidade”. As pessoas têm uma memória acima da média, no entanto não compreendem tanto sobre o que descrevem.

Características de crianças com altas habilidades ou superdotação

Veja algumas características que podem se apresentadas por crianças com altas habilidades:

Comportamentais:

  • costumam se interessar por coisas incomuns, fazem muitas perguntas e sempre tentam entender o fenômeno pelo qual se interessaram;

  • são bastante enérgicas, o que pode causar um diagnóstico errado, de hiperatividades;

  • são inquisidores e normalmente não aceitam “explicações prontas”, querem sempre respostas para seus “como” e “por que”;

  • gostam de aprender coisas novas, tanto quanto de novas formas de fazer algo.

De aprendizagem:

  • demonstram gostar muitos de atividades intelectuais;

  • apresentam um alto grau de abstração e síntese;

  • são críticos e céticos – o que corrobora a característica comportamental de não aceitarem “qualquer verdade”;

  • conseguem armazenar informações relacionadas a muitos assuntos, as quais conseguem acessar com facilidade quando precisam.

De pensamento criativo:

  • são bons com dedução e frequentemente criam hipóteses do tipo “como seria se...”;

  • têm um pensamento flexível, capaz de apresentar muitas alternativas para a solução de um problema;

  • conseguem perceber relações entre situações, objetos ou fatos que aparentemente não têm relação;

  • gostam de se envolver com assuntos complexos e amam situações em que precisam resolver algum problema.

Veja mais no infográfico:

Altas habilidades: diagnóstico e inclusão escolar

O diagnóstico de altas habilidades é complexo e feito por especialistas em saúde e educação — educadores, psicólogos, pedagogos, psicopedagogos e outros. É importante salientar que escalas e testes não diagnosticam, mas podem ser ferramentas importantes na identificação de crianças superdotadas. Essa identificação normalmente ocorre nos primeiros anos escolares.

A inclusão escolar é um desafio. No entanto, se bem preparados, professores conseguem facilitar o crescimento e desenvolvimento de talentos e habilidades, por meio de atividades interessantes que motivem a aprendizagem.

Temos que frisar que alunos com altas habilidades ou superdotação também são amparados pela legislação para que tenham o professor de apoio na escola regular.

Além disso, também é interessante destacar que a inclusão de crianças com deficiência, distúrbios de aprendizagem e altas habilidades/superdotação exige um currículo diferenciado, adaptado às suas necessidades.

Isso demanda profissionais altamente capacitados e conhecedores de tudo que envolve estar preparado para atender às necessidades educacionais especiais desses públicos. Cursos online voltados a essas áreas são excelentes formas de proporcionar conhecimentos e enriquecer o currículo de educadores.

Qual o quociente de inteligência de uma criança com altas habilidades?

Apesar de a área da educação ter adotado, de acordo com nossa legislação, o termo altas habilidades/superdotação, especialistas afirmam que são coisas diferentes. O que podemos dizer, de forma resumida, é a seguinte classificação:

  • inteligência superior ou altas habilidades: quem apresenta um QI entre 121 e 130;

  • inteligência muito superior (superdotação): quem apresenta QI acima de 130.

Importante salientar que não há exatamente um consenso entre especialistas, assim como há diferentes escalas de medição.

Outro ponto a ser considerado é que, historicamente, a superdotação foi considerada mensurável — identificada por meio de testes de inteligência. Isso resultou no QI sendo a medida da inteligência humana.

Como tudo evolui, avanços em estudos na área dão uma outra visão a essa concepção, questionando os testes de QI e ampliando o conceito de superdotação. Os testes de QI passam então a identificar habilidades específicas dentro de um contexto, e características como criatividade, aptidão artística e musical, liderança, entre outras, são também consideradas na identificação de sujeitos com altas habilidades ou superdotação.

Os certificados do Educamundo podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Quer saber mais sobre altas habilidades e superdotação? Estude no Educamundo

O Educamundo tem o Curso Online Trabalhando com Pessoas com Altas Habilidades, para quem quer desvendar e aprender sobre esse incrível universo.

Tem muito mais que isso: você se inscreve para o curso e ganha acesso, durante um ano inteiro, a todos os cursos do Pacote Master. São mais de 1.200 opções em 23 áreas do conhecimento.

Você pode fazer todos os cursos que quiser, investindo apenas R$69,90, em taxa única anual e sem cobrança de mensalidades. Pode estudar quando e de onde estiver, pois nossos cursos ficam 24 horas à sua disposição.

Faça a sua matrícula agora e conquiste competências e habilidades essenciais à sua carreira! Aproveite os benefícios do melhor portal de cursos online com certificado do país.