Quais aspectos você analisa ao considerar uma criança inteligente? Será que são as boas notas na escola ou é a facilidade com que ela resolve problemas matemáticos, por exemplo?

O senso comum diz que a inteligência tem relação com conhecimentos conceituais, só que ela vai muito além disso. A cognição, na verdade, pode ser  desenvolvida por meio dos relacionamentos interpessoais, da música etc. E aqui vamos tratar da inteligência corporal-cinestésica.

Caso você nunca tenha ouvido o termo citado, o convidamos a acompanhar este artigo. Aqui vamos explicar que o aprendizado envolve diversos tipos de inteligência e as crianças podem ser beneficiadas por aquela relacionada ao estímulo corporal. Vem saber mais!

Entendendo a inteligência corporal-cinestésica

A inteligência corporal-cinestésica está relacionada a uma ampla consciência sobre o próprio corpo. Ela envolve, entre outras habilidades, a capacidade para:

  • realizar diversos tipos de movimentos físicos;

  • realizar trabalhos manuais;

  • desenvolver a percepção espacial;

  • realizar ações sincronizadas;

  • aprender por meio da ação.

Todas essas características são importantes para o desenvolvimento cognitivo, principalmente das crianças da educação infantil (até os 6 anos). Afinal, elas estão no processo de descobrirem o mundo e a si mesmas. E fazem isso, em grande parte, por meio do tato e dos movimentos.

Sendo assim, trabalhar a inteligência corporal-cinestésica é algo extremamente importante na escola. Porém, antes você precisa entender um pouco mais sobre os demais tipos de inteligência.

Os tipos de inteligência existentes

Pensar que conhecimentos lógico-matemáticos e linguísticos são os únicos que definem a capacidade cognitiva de alguém deixou de ser verdade há mais de 20 anos. Desde a década de 1980, o psicólogo Howard Gardner lançou um livro falando sobre inteligências múltiplas.

A partir de então, percebeu-se que cada pessoa tinha sua própria forma de resolver problemas e destacava-se com habilidades específicas em determinadas áreas. Isso resultou em sete tipos de inteligência. Além da corporal-cinestésica, que explicamos anteriormente, há a ainda a:  

  • linguística;

  • lógica-matemática;

  • espacial;

  • musical;

  • interpessoal;

  • intrapessoal.

Cada indivíduo possui todas essas inteligências, porém sempre há o predomínio de alguma delas.

Quem é Howard Gardner? Ele é um psicólogo dos Estados Unidos que trabalhou na Universidade de Harvard. É o autor do conceito das inteligências múltiplas e, por conta disso, ficou conhecido no mundo todo. Atualmente, tem um site onde é possível conferir seu trabalho. 

A importância da expressão corporal na escola

Agora você já sabe que existem vários tipos de inteligência, então, chegou o momento de descobrir a importância de desenvolver aquela que é a corporal-cinestésica.

Como mencionamos anteriormente, as crianças pequenas comunicam-se muito por meio de movimentos físicos. Elas pulam, correm, cruzam os braços quando estão irritadas etc. Sendo assim, trabalhar a expressão corporal na escola é útil, antes de tudo, para desenvolver a comunicação infantil. Mas não apenas por isso.

Por meio de jogos, atividades físicas e diversas outras ações que envolvem o movimento do corpo é possível:

  • desenvolver o senso de solidariedade;

  • a concentração;

  • a coordenação e o equilíbrio;

  • a noção de espacialidade;

  • o pensamento crítico;

  • a consciência sobre a capacidade de movimentos etc.

Viu como são vários os benefícios da inteligência corporal-cinestésica na educação?

Os certificados do Educamundo podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Como desenvolver as habilidades psicomotoras da criança

Até aqui você já deve ter entendido que é necessário valorizar a expressão corporal da criança, porém como fazer isso na prática? No Educamundo, temos vários cursos online que podem ajudá-lo a elaborar brincadeiras e atividades na escola. Mas neste tópico vamos lhe dar algumas dicas.

Trabalhar as habilidades psicomotoras significa unir o raciocínio com o movimento físico. Para crianças pequenas, de até três anos, você pode:

  • pedir para elas fazerem ações como correr, andar, saltar e engatinhar;

  • treinar posturas corporais, como ficar na ponta dos pés;

  • desenhar;

  • fazer colagens;

  • criar túneis com caixas de papelão para elas atravessarem etc.

Se a sua turma for de crianças um pouco maiores, entre quatro e seis anos, vale a pena:

  • fazer circuitos com pneus para valorizar a concentração e a força de superar obstáculos;

  • fazer atividades com dança para desenvolver a coordenação motora e a memória;

  • criar jogos competitivos de equipes para valorizar a interação social;

  • fazer projetos com o uso de argila ou massa de modelar para trabalhar a noção de texturas e as habilidades manuais.

Em resumo, são várias as possibilidades. O importante é colocar as crianças para se mexerem e não apenas valorizar o aprendizado teórico, dentro da sala de aula tradicional.

Se você quiser entender melhor a relação entre aprendizagem e movimento corporal, uma dica é fazer o nosso Curso Online Psicomotricidade na Educação Infantil. Ele tem um material completo para você se qualificar e melhorar sua atuação em sala de aula.

Sendo assim, não perca tempo e inscreva-se agora na plataforma. Por apenas R$ 69,90 você tem acesso a mais de 1.200 cursos do Pacote Master durante um ano, sem mensalidades. Faça como mais de 200 mil alunos e descubra por que somos referência em cursos online com certificado.