Estudos mostram que o TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade) afeta cerca de 3 a 6% das crianças do mundo todo. Há, contudo, pesquisas que sugerem um número ainda maior, 11% no total. 

Durante muito tempo acreditava-se que tal transtorno desapareceria com o fim da infância. Esta informação já não é mais aceita. Com o aumento de estudos feitos na área, educadores e psicólogos chegaram a conclusão de que boa parte destas crianças continuarão a apresentar os sintomas do TDAH na adolescência e ao longo da idade adulta. 

Diante destes dados, fica evidente a necessidade de tratar o TDAH logo na infância, uma vez que dispensar a atenção adequada evitará prejuízos em diversos aspectos da vida, especialmente no âmbito escolar.

A importância do diagnóstico correto no TDAH

O TDAH pode facilmente ser confundido com rebeldia ou falta de disciplina. Até porque, alguns de seus sintomas são bem similares a características típicas da infância, como agitação e dificuldade em prestar atenção em alguns assuntos.

Para evitar erros no diagnóstico, a Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva diz, em seu livro “Mentes Inquietas”, que é necessário avaliar a intensidade, a frequência e a constância dos sintomas. Segundo ela, tudo na criança TDAH parece estar a mais. 

Para tanto, é preciso ser muito perspicaz e conhecer profundamente as características infantis, bem como as do TDAH. É a partir delas que professor e família terão as diretrizes para ajudar no processo de aprendizagem dos alunos com o transtorno.

Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade

O TDAH constitui-se pelos sintomas de desatenção, impulsividade e hiperatividade, sendo que o único que está presente em 100% dos quadros é o déficit de atenção. Já a presença da impulsividade e da hiperatividade varia de caso para caso. Uma criança pode, por exemplo, apresentar sintomas de desatenção, mas não ter hiperatividade física.

Déficit de atenção: não é distração, é excesso de pensamentos

Quando se fala em desatenção (déficit de atenção) surge uma falsa ideia de que crianças com TDAH são incapazes de focar em algo. Isto não é verdade, ainda conforme a Dra. Ana Beatriz Barbosa, o que ocorre é, na verdade, uma instabilidade de atenção.

De fato, na maior parte do tempo, estas crianças possuem dificuldades em se concentrar nas tarefas, no que o professor está explicando e até nas conversas.

Existe, porém, no TDAH um quadro chamado hiperfoco, isto é, períodos de excesso de concentração que aparecem quando a criança se depara com algo que ela gosta muito ou que desperta seu interesse. 

Impulsividade: o sintoma confundido com rebeldia

A impulsividade presente no TDAH caracteriza-se pela presença de falas e ações, como já sugere o nome, impulsivas.

Crianças com este transtorno que apresentam o sintoma de impulsividade acabam sendo “grosseiras”, “respondonas” e têm reações exageradas e até agressivas em brincadeiras. 

Hiperatividade: características das crianças hiperativas

A hiperatividade se manifesta em forma de agitação física. Crianças hiperativas são aquelas que não param quietas, mexem em várias coisas e estão sempre “elétricas" e "agitadas". 

Na sala de aula é fácil reconhecê-las. Elas não ficam em suas carteiras, estão sempre pulando e são agitadas até mesmo nas brincadeiras.

O papel da família e da escola

Os sintomas do TDAH tendem a se manifestar com mais força no início da vida escolar, momento em que pela primeira vez a criança se depara com a necessidade de ficar sentada na carteira, prestar atenção e ter disciplina com as atividades. 

Ao perceber que a criança apresenta dificuldades nesses aspectos, pais e professores devem procurar ajuda (médico, psicólogo e/ou psicopedagogo). 

Caso o diagnóstico seja positivo, escola e família devem iniciar, juntos, um plano de ação adequado que vise melhorar o desempenho escolar do aluno. 

Crianças hiperativas, com déficit de atenção e impulsividade: possibilidades pedagógicas

Compreender que as atitudes da criança não tem relação com rebeldia, falta de disciplina e de interesse, possibilita uma série de abordagens eficazes para o TDAH em sala de aula. 

Ao entender aspectos como hiperfoco, por exemplo, uma das alternativas para as aulas pode ser a adoção de estratégias como jogos educativos, brincadeiras lúdicas e contação de histórias. 

Estas atividades, por serem prazerosas, ajudam a criança se interessar pela aula proposta, assim ela aprende e se diverte ao mesmo tempo.

Os certificados do Educamundo podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Aqui no portal temos alguns cursos online que podem ajudá-lo a entender melhor os aspectos fundamentais do transtorno, dentre eles o Curso Online Inclusão de Crianças com TDAH. Além disso, temos ainda outros tipos que materiais que podem ajudar pais e professores nesta jornada educacional.

Se você tem interesse em aprender mais, não deixe de conhecer nossos cursos online com certificado opcional e aproveite para cadastrar seu e-mail em nossa newsletter e receber todas as novidades do portal.

O mercado não espera por você. Cadastre agora e qualifique-se: