EAD - Educação a distância - é uma modalidade de ensino na qual, ao invés de frequentar um curso presencialmente na instituição, o aluno o realiza por intermédio da internet em plataformas online.

Quem acompanhou a campanha política de Bolsonaro sabe que na área da educação ele defendeu a implementação do ensino fundamental a distância. Estudar pela internet não é nenhuma novidade, pois a realização de cursos EAD já uma realidade muito forte no país. Confira o nosso guia completo sobre Bolsonaro e a educação a distância.

Governo Bolsonaro e a educação a distância no ensino fundamental

Esse ensino a distância, defendido pelo Bolsonaro, se estenderia ao ensino fundamental e médio. Sabemos que essa já é uma realidade que existe no país nos níveis profissionalizante, técnico e superior, e que cresceu bastante nos últimos anos. 

Segundo dados da ABED (Associação Brasileira de educação a distância) o número de alunos matriculados em cursos a distância em 2017 foi de 7.773.828. O número mais que dobrou, se comparado a 2016, que eram cerca de 3 milhões de matrículas.  De um total de 11.008 polos contabilizados pelo Censo de educação a distância do ano de 2017, pelo menos 3.137 foram criados nesse mesmo ano. Entre esses cursos pode-se encontrar cursos livres, técnicos, de graduação e de pós-graduação. 

Atualmente, o MEC (Ministério da Educação) é responsável apenas pelos cursos de graduação e pós-graduação. As modalidades de ensino Infantil, fundamental médio e técnico é responsabilidade das secretarias estaduais e municipais de educação. Os cursos livre da educação continuada também não precisam da autorização do MEC. 

A educação a distância no ensino fundamental e médio já é uma realidade em lugares de difícil acesso,  como algumas comunidades próximas de Manaus, que atualmente utilizam o sistema de tecnologia por vídeo para que os alunos tenham acesso a todas as disciplinas do currículo. Há anos já existe o ensino médio na modalidade de EJA (Educação de Jovens e Adultos) a distância, em que os alunos estudam em casa e vão para a escola apenas para realizar as provas sobre as disciplinas, parecido como ocorre na graduação.

Bolsonaro defende educação a distância

Bolsonaro defendeu a educação a distância por boa parte da sua campanha. Para ele os alunos poderiam ir à escola apenas para realizar as provas e fazer aulas práticas. Segundo o político essa seria uma forma de combater o "marxismo" nas escolas, além de baratear os custos da educação. Para ele, um dos principais problemas da educação no país é a doutrinação que ocorre nas escolas.

Será que o ensino fundamental daria certo no modelo EAD? A resposta para isso não é tão simples, depende de muitos fatores, como o grau de escolaridade dos pais, o acesso a internet, oportunidade de ter um ensino de qualidade e conhecimentos básicos de informática.

Sabe-se que crianças de classe média e alta, desde pequenas têm o contato com tablets, telefones e computadores porque estão acostumadas com isso em seu cotidiano. Porém muitas crianças que frequentam a escola pública têm o acesso mais limitado aos aparelhos tecnológicos. Isso ocorre por vários fatores como a falta de manutenção nas escolas que acaba diminuindo a quantidade de computadores, não tendo um para cada criança, a falta de instrutores treinados, ausência de formação para professores, nem todos sabem como trabalhar com essa tecnologia com as crianças, falta de acesso à internet em muitas escolas, dificultando o uso pelos alunos. 

Entretanto, é interessante se considerar a ideia de implementar cursos complementares a distância para crianças, isso ajudaria a estimular a auto suficiência, ensinando que é possível aprender sozinhos. Assim, quando crescem elas estariam mais preparadas para ter uma educação a distância.

Uma das maiores dificuldades de adultos que estudam a distância é a disciplina para realizar as atividades e leituras. Se esses adultos tivessem acesso a educação a distância desde pequenas, como um complemento de sua formação, elas teriam mais êxito nos estudos.

Os projetos de bolsonaro para educação à distância

Vamos conhecer melhor os projetos de Bolsonaro para educação, presidente eleito e que governará pelos próximos quatro anos. Durante a campanha ele pediu que fosse dada uma maior atenção a educação a distância. 

Segundo o Jornal O Globo, Bolsonaro teria afirmado a seguinte frase: " — Você pega um garoto chinês, japonês, israelense de 15 anos de idade, ele sabe balancear uma equação química, ele sabe de cor o livro de física de Isaac Newton, já sabe integral, derivada. O nosso só tem pensamento crítico, pra saber se vai ser homem ou mulher, essa é a grande decisão da vida dele."

Dessa forma, o político defende o projeto de Escola sem Partido e afirmou que ao ser eleito pretende retirar as ideias sobre Paulo Freire (autor que defende o pensamento crítico nas escolas) da educação.Além disso, ele acredita que as escolas deveriam focar mais no ensino do português, matemática e ciências, além do retorno de disciplinas que existiram durante a ditadura militar. 

Segundo ele, o ensino a distância pode vir a ser uma ótima alternativa para as áreas rurais, em que a dificuldade de acesso ao ensino tradicional é muito grande. Ele admitiu que o ensino fundamental presencial é o melhor possível, mas que muitos conteúdos poderiam ser ensinados a distância, principalmente nos locais de difícil acesso.

Segundo Bolsonaro, o ensino a distância poderia ajudar a qualificar ainda mais os professores, visto que, o acesso à educação seria facilitado, através de portais educacionais. 

Cursos online para complementar a formação já é uma realidade, mas nem todos tem acesso ou conhecem as oportunidades que existem na internet. A geração X e Y estão acostumadas a se especializar utilizando a era digital. As gerações mais antigas ainda percebem a internet como um grande desafio, talvez falte o incentivo e a aprendizagem básica das ferramentas.  

ead_bolsonaro

Saiba tudo sobre homeschooling brasil   

Homeschooling é a educação domiciliar, em que os filhos são ensinados pelos pais, de acordo com os seus conhecimentos, sua cultura e seus interesses. Assim a formação educacional ocorre com a família. 

Quem assistiu ao filme Capitão Fantástico, percebeu que um pai criava sozinho seis filhos, no meio de uma floresta nos Estados Unidos, ele os ensina a ler, a debater, a ter conhecimentos básicos de sobrevivência na floresta, além claro de todas as leis do país e conhecimentos de sociologia e história.

Em algumas cenas do filme, as crianças mostram que sabem muitos conhecimentos que outras crianças que frequentam a escola não possuem. O homeschooling Brasil ainda não se tornou uma prática muito popular, pois segundo a Lei nº 12.796, de 4 de abril de 2013, a educação básica é obrigatória e gratuita dos 4 aos 17 anos de idade.

Entende-se educação básica como sendo as seguintes modalidades: pré-escola (ou creche), ensino fundamental e ensino médio. Quando ocorrem casos de crianças não matriculadas, as secretarias municipais e estaduais notificam o conselho tutelar.

No Brasil, a prática do homeschooling ainda não é regulamentada, profissionais da áre afirmam que o grande desafio é comprovar que a criança teve uma formação adequada. Atualmente, a única alternativa é que ela realize o Encceja (Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos), porém ele só pode ser feito com 18 anos.

Algumas famílias que adotam o homeschooling argumentam que estando em casa, as criançam evitam ambientes de hostilidade, violência e bullying. Enquanto que outras famílias e alguns educadores apontam para a falta de interação social nesses casos. O que saba-se é que haverão prós e contras em qualquer modalidade de ensino.

A prática desse tipo de ensino é antiga, durante boa parte da história, famílias com maior poder aquisitivo pagavam professores particulares para ensinarem seus filhos. Atualmente, crianças que trabalham na TV ou em outros meios artísticos possuem esse tipo de modalidade de ensino.

Muitos pais acreditam que seus filhos poderiam aprender mais, conhecimentos que vão além do currículo escolar. Por isso, muitas famílias inscrevem seus filhos em cursinhos extras como idiomas, esportes, dança, pintura, entre outros. Dessa forma, através de cursos à distancia, eles poderiam adquirir novos conhecimentos e complementar a sua formação acadêmica.

Os benefícios do ensino a distância

Com o avanço da tecnologia a internet expandiu um mundo de possibilidades que nunca havia se imaginado. Você pode aprender qualquer coisa através da internet, você pode publicar vídeos com tutoriais, ensinar outras pessoas aquilo que você sabe fazer, aprender idiomas, se conectar com pessoas do outro lado do mundo e inclusive trabalhar pela internet.

A geração que hoje têm entre 18 e 25 anos está aproveitando a internet de uma maneira que nenhuma outra geração conseguiu. Conectados 24h por dia, compartilham suas vidas pessoais, se localizam através de aplicativos, compartilham músicas, vídeos, livros, filmes e jogos. Utilizam ela como instrumento de aprendizagem, como meio de ensinar o que sabem e como forma de se informar do mundo e dar a sua opinião.

Vamos entender melhor quais são todos os benefícios do ensino a distância:

  • economia de tempo: você não precisa pegar um ônibus ou se locomover até o estabelecimento de ensino, esperar começar a aula, ter que adequar os seus horário em função da aula: você pode aprender em qualquer horário;

  • aprender em qualquer lugar: através de um tablet, notebook ou mesmo um smartphone, você pode aprender em qualquer lugar, em casa, na rua, em um café, na casa de amigos, dentro do ônibus, basta se conectar;

  • economiza dinheiro: sabemos a luta que é trabalhar todos s dias para guardar aquela grana, a maioria dos cursos online são mais baratos, trazem o mesmo aprendizado e qualidade. Assim é possível economizar e aprender;

  • dedicação e disciplina: muitos alunos de cursos presenciais não leem os textos e nem estudam para as provas. O ensino a distância estimula a dedicação ao cursos, pois o aluno se obriga a ler a matéria e estudar, assim precisa aprender sozinho;

  • inclusão: a modalidade EAD pode ser utilizada por qualquer pessoa. Muitas pessoas portadoras de deficiência têm dificuldade para frequentar um curso presencial. Assim elas podem ser inseridas no universo acadêmico da mesma forma das outras pessoas.

Os certificados do Educamundo podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Cursos online são reconhecidos pelo MEC?

A resposta é sim! Cursos online tem a mesma validade de cursos presenciais. Sejam cursos livres, cursos de extensão, graduação ou pós graduação, cursos online com certificado são ótimas pedidas. Cursos online são as opções mais democráticas. Além de todos os motivos expostos acima, o ensino a distância consegue chegar em qualquer lugar e você pode estudar explorando suas horas vagas, onde e quando quiser e puder. Nem todos os cursos são reconhecidos pelo MEC. Não estamos falando só dos cursos online não, mas até dos presenciais também. Aprenda um pouco mais com este vídeo que criamos para você:

O EAD é reconhecido pelo MEC e os certificados e diplomas emitidos por instituições que ofertam cursos a distância tem o mesmo valor dos que são ofertados presencialmente.

E você, gosta de aprender através do EAD? Experimente agora mesmo. Se inscreva no Educamundo, um dos maiores portais de ensino a distância do país. Por um valor de apenas R$ 69,90 por ano, sem mensalidades, você terá mais de 1.200 opções de cursos online para escolher e o acesso a todos estes já está incluído. Assim, você investe em educação de qualidade e ajuda a melhorar a sua posição no mercado de trabalho.